Pages

Subscribe:

quinta-feira, 22 de julho de 2010

HISTÓRIA: O PINCEL E AS TINTAS


Adaptei  recriando de acordo com a realidade dos meus alunos a história "O Pincel e as Tintas" , escrita originalmente por Maria Hilda de J. Alão,. Criei ainda fantoches de papel com os personagens da historinha: um pincel curioso e vários potinhos de tintas.



O PINCEL E AS TINTAS

Sobre uma mesa havia uma caixa com vários potinhos de tinta, todos com rendinha colorida em volta da tampa, uma tela em branco e, do lado de fora da caixa, um pincel curioso. Ele fazia força para se levantar, queria ver o que tinha dentro daquela caixa. Conseguiu ficar em pé.



- Ufa! – exclamou, agarrando-se à borda da caixa.


Os vidrinhos de tinta ficaram alvoroçados com a presença do pincel.


- Oi, pessoal! – cumprimentou o pincel – Gostei de vocês. Podemos brincar de pintar? – perguntou.


- Pintar o quê? – perguntou o vidro de tinta vermelha.


- Podemos pintar tudo. Estamos juntos, pincel, tinta e tela.


- Já sei! Vamos pintar uma flor – disse a tinta amarela.


- Legal, legal, legal... – responderam os outros vidros de tinta.


E começaram o trabalho.



 

( neste momento contei com a ajuda de Tia Flávia que foi ilustrando a história com o pincel curioso )

O pincel fazia o desenho, as tintas diziam se estava bom ou não. Finalmente ficou pronto. Era uma flor linda. A tinta azul, olhando o desenho, teve uma idéia:



- Já que temos uma flor, por que não colocamos folhas. Assim teremos uma flor completa. Vocês concordam?


- Plenamente... plenameeente. – responderam os outros vidros de tinta.


E o pincel começou seu trabalho de desenhar folhas para aquela flor.
 
 


Depois de algumas horas, com o trabalho quase pronto, os vidros começaram a dar sugestões para embelezar o quadro.



- Desenhe gramas embaixo dela, puxando mais para a direita. – disse um dos vidros de tinta.


- Que tal um arco-íris à esquerda e, um pássaro. – sugeriu o outro vidro.


E o pincel desenhava tudo que lhe era sugerido. Terminou.


- Vai ficar lindo. – disse a tinta branca. Acho que será a flor mais linda já pintada por um pincel. Havia chegado a hora de pintar o desenho. As tintas se acomodaram, dentro da caixa, e foi um tal de tirar a tampa, pedir atenção para não borrar a rendinha, não sujar a caixa e nem a mesa.
 
 

. E começou o processo de pintura do quadro.



- Cor das pétalas. - pediu o pincel.

- Amarela. – responderam as tintas.





Pinceladas de tinta amarela foram distribuídas com arte para pintar as pétalas da flor.




Depois o pincel conseguiu começar a pintar o arco-íris de vermelho,





 laranja, amarelo



verde,



azul, anil e violeta



O pássaro deve ser pintado de branco à cor da paz,





as folhas com detalhes em verde, a cor da esperança – disse a tinta branca. É verdade – disse a tinta preta -, o branco junto com o verde, representará a paz unida à esperança.



A tinta verde ficou muito feliz com a idéia.
 

E o pincel pintou o pássaro de branco e as folhas em detalhes verdes.


O trabalho estava quase terminado quando a tinta verde chamou a atenção de todos para um fato.



- E o céu? Não será pintado?


- É meeesmo! Quase que esquecemos o céu. – exclamaram todos.


- Eu sugiro que seja azul. – disse o pincel.


- De acordo. – responderam todos os vidros de tinta.


E o céu foi pintado com todos os detalhes, ressaltando a pureza, a inocência e a verdade que toda criança tem dentro dela e que se refletem no espelho do céu.



Finalmente estava terminado o quadro. O pincel estava orgulhoso. Seu trabalho, com a ajuda das tintas, estava perfeito.



- Então, gostaram? – perguntou o pincel para as tintas que acabavam de arrumar suas tampinhas se fechando para que não ficassem secas.


Os vidros, inclinando-se na borda da caixa, olharam para a tela e, todos juntos, exclamaram:


- Pinceeeel, você pintou a obra de Jesus! Maravilhaaa! Agora só falta às crianças cuidarem dessa obra...


E os vidros aplaudiram a obra e o pintor.


- Plá, plá, plá, plá, plá... Bravoooo!






Bom gente, essa foi a galerinha que me ajudou a construir a história, os verdadeiros artistas.




Ah! E essa claro sou "Eu", finalmente apareci.



E essa é Tia Flávia




TCHAUUUUU...E ATÉ O PRÓXIMO ENCONTRO!!!







Acesse o site: http://usinadeletras.com.br nele você encontrará a história acima original, além de diversas outras historinhas, contos, parlendas...


BEIJÃO!!!








terça-feira, 6 de julho de 2010

Movimentos Corporais



Brincadeira de Criança Como é Bom!!!

Movimentos Corporais


BRINCAR DE AVIÃOZINHO

  • Peça que as crianças fiquem com o tronco um pouco inclinado para frente.
  • Em um pé só
  • Braços abertos acompanhando a linha do ombro
  • Crianças brincam utilizando uma perna de apoio, depois trocam e apoiam outra.
  • contam até 5...10...15
PULA DUPLA

  • uma criança de frente para outra
  • De mãos dadas e pés juntos
  • Ao sinal devem tentar andar pulando juntos para um lado (3 passos) e para o outro.
  • Sem soltar as mãos
DESAFIOS DOS SACIS

  • Durante alguns minutos transforme a sala numa floresta.
  • Ao sinal do mestre as crianças começam a andar como sacis sem esbarrar no outro.
  • Depois tentam dar pulo mais alto e cair num pé só
  • Por último dão um pulo e se agacham sem tocar o chão com as mãos.
EQUILIBRIO

  • Coloque uma corda ou fita em linha reta no chão.
  • Peça para os alunos andarem em cima da fita
  • De frente (ida) e de costa (volta)
  • Juntar os pés e pular com ambos de um lado e do outro.
EQUILIBRIO COM SAQUINHOS

  • Usando saquinhos de feijão;
  • caixas de fósforo vazia ou cheia de arroz , areia ou sementes.
  • Faça com que as crianças equilibrem nos pés, na cabeça, na palma da mão, dedos...
  • Quanto mais leve o objeto mais dificil de ser equilibrado
VARAL COM PET

  •  Divida a turma em 3 ou 4 grupos
  • Na quadra amarre um barbante em varal na altura que as crianças alcancem
  • Pendure garrafas pet de cabeça para baixo na quantidades dos grupos
  • Ao sinal a primeira criança de cada grupo corre até sua garrafa e destampa.
  • A criança leva a tampa até a segunda do grupo
  • Essa deve ir lá e tampar a garrafa
  • Continua até todos participarem
BRINCANDO DE MESTRE

  • Providencie bexigas para cada criança
  • Permita que elas explorem livremente
  • Faça o papel do mestre executando movimentos variados com sua bexiga para que as crianças repitam.
ESTÁTUA

  • Distribua uma bexiga cheia para cada criança ou peça que elas encham
  • Coloque uma música e peça que elas se movimentem
  • Ao parar a música devem ficar em posição de estátua utilizando a bexiga
DANÇA DA BEXIGA

  • Distribua  a bexiga cheia para cada dupla
  • As duplas devem dançar com a bexiga entre a barriga, pernas, testa, mão sem deixar cair.

HISTÓRIA DO BONECO DE BORRACHA

Peça que os alunos fiquem em pé no pátio enquanto  o professor conta  a história.
Eles devem interpretá-la com movimentos corporais.


Era uma vez um boneco de borracha que ficava de todos os jeitos com o corpo,
 mas não falava, não fazia barulho e mexia-se bem devagar.



- Ele gostava de passear no jardim olhando as flores coloridas,
os pássaros, as borboletas e as abelhas que voavam no alto.


- De repente, veio um vento forte...Nossa!
O boneco de borracha ficou torto e agora ele anda todo torto,
virado só para um lado. E assim ele continuou o passeio.
Ufa! O vento parou, e ele então voltou ao normal.
Agora ele conseguia andar tanto para frente como para trás.


- O vento voltou de novo. Ai, ele entortou-se para frente
e anda olhando para baixo. Parece até que procura alguma coisa no chão.


- Mas de repente, o vento mudou de direção e fez o boneco
entortar-se para trás. Agora ele só vê o que está lá no alto:
O céu, os pássaros e as borboletas.


- Finalmente o vento parou de vez.
O boneco de borracha endireitou-se e
continuou o passeio observando tudo que estava ao seu redor.


- Engraçado é que quando o boneco de borracha chegava
 perto de uma árvore ficava bem magrinho e bem comprido,
do tamanho da árvore. Então o boneco andava elegante,
esticado e comprido, quase alcançando o céu.


- Quando chegava perto de uma roseira e sentia
o cheiro das rosas, o boneco ficava todo gordo e pesado,
 como um elefantinho. Para andar, até fazia um barulhão.


-Ah! O boneco de borracha estava cansado de tanto passear.
 Então ele deitou-se no chão para descansar e... surpresa!
Ele ficou pequenininho, encolhidinho.
Podia até caber numa caixa de sapato.
Bem pequeno mesmo.


- De repente crescia, crescia,
espalhava-se para todos os lados,
 crescia, crescia e crescia.
Crescia tanto que ocupava um grande espaço no chão.


-Ficava pequeno de novo, pequeno, pequeno,
bem pequeno e adormecia todo pequenininho.


- Até que amanheceu o sol. O boneco de borracha,
 que estava quietinho, foi se mexendo devagar,
esticando-se para todos os lados, esticando os pés,
 as pernas, o tronco, os dedos, as mãos e os braços.


- Ele levantou-se e virou gente, agora sim,
ele consegue conversar, falar bem baixinho,
com quem está perto dele.


- Essa é a história do boneco de borracha que virou gente.


 
 
 
 
 
 
 
 

Projeto 3º Bimestre




Brincar com crianças não é perder tempo, é ganhá-lo;
se é triste ver meninos sem escola,
mais triste ainda é vê-los sentados enfileirados em salas sem ar,
 com exercícios estéreis, sem valor para a formação do homem. "

( Carlos Drummond de Andrade)

PROJETO: ARTE E CULTURA


3º BIMESTRE

TEMA: AS CORES DO MUNDO INFANTIL


PERÍODO: 06 DE JULHO A 23 DE SETEMBRO


JUSTIFICATIVA:

Através das atividades lúdicas a criança experimenta sensações, 
aguça os sentidos visuais, a sensibilidade e a criatividade.
As atividades artísticas na Educação Infantil
contribuem no desenvolvimento da criança,
estimulando suas habilidades, oportunizando o aluno
a conhecer a diversidade cultural,
favorecendo assim no processo de aprendizagem e
 estabelecendo comparações para a ampliação dos seus conhecimentos.


OBJETIVO GERAL:

Utilizar as diferentes linguagens corporal/musical/plástica/oral
 e escrita para que as crianças expressem suas idéias e seus sentimentos,
contribuindo assim no processo de uma aprendizagem significativa
que enriqueça sua capacidade expressiva.



OBJETIVOS ESPECIFICOS:

Desenvolver a atenção, concentração e outras habilidades
 importantes para a aprendizagem da criança.


• Oportunizar o conhecimento do próprio corpo experimentando:
força, flexibilidade, equilíbrio etc.


• Exercitar as habilidades motoras


• Oportunizar a criança a conhecer as diferentes linguagens de artes plásticas


• Explorar o espaço físico através de brincadeiras


• Trabalhar a diversidade sonora e cultural



METODOLOGIA:

Rodas de conversa


• Explorar as datas comemorativas: dia dos pais, dia do folclore, dia da árvore...


• Oficinas de pintura, desenho, brinquedos populares


• Hora do conto, das artes, baú de dramatização


• Jogos e brincadeiras temáticas


• Passeio pedagógico


• Teatro de fantoches



RECURSOS:

Livros infantis:


• DVD/cd


• Sucatas


• Revistas/jornais


• Fantoches


AVALIAÇÃO:

Contínua através da observação na participação,
 interesse e desenvolvimento de cada aluno,
individual e coletivamente nas atividades propostas.



CULMINÂNCIA:

Apresentação de mini-projetos para os demais alunos,
 sem a participação dos pais, como forma de interação entre as turmas.
OBRIGADO PELA SUA VISITA VOLTE SEMPRE...DESIGN DO BLOG:Leonardo Araújo Guedes-Dom de Educar